"Ando devagar porque já tive pressa..."

"Ando devagar porque já tive pressa..."
"Ando devagar porque já tive pressa..."

30/12/2011

Sobre o Meu Amor Platônico

Tua boca me deixa sedenta dos teus olhos castanhos nos meus
Teus olhos me deixam confusa, muitas vezes até muda com o que Deus te deu
Esta capacidade de inebriar sem o mínimo esforço que me faz desejar pular em teu pescoço
Procurando em tua boca matar minha sede que ela mesma desperta
Tuas mãos me fazem ouvir uma canção dedilhada com um jeito que é todo teu
Não. Ele também é meu, pois assim eu afirmo e digo ainda mais:
Desde que eu te vi passei a ser assim; boba declarada, tão apaixonada que te penso meu
E olha que nem começamos nem haveremos de ser mais que isso
E hoje em dia nem ligo, pois te amo e nesse amor acredito
Se me amas também, nem preciso, a mim já me basta todo o amor que sinto
Platônico, bem sei. Mas amor verdadeiro que eu vivo e desejo até um dia ter fim
Mas será que é assim? Dizem que amor não acaba e se não for verdadeiro eu direi mesmo assim
Te amo e te quero, te sinto por perto, mesmo longe de ti

Lola (26/12/11)

21/12/2011

Que Venha o Natal

Que venha o Natal
Trazendo consigo a esperança às vezes esquecida
Suas luzes e cores enfeitem meus dias e tragam flores matinais
Que a árvore enfeitada me transmita a paz

E que eu cada vez mais saiba compartilhar tudo isso
Que nos venha um Natal que seja bem bonito
E o mundo inteirinho se cubra da luz que emana do natal que desejo
E que abraços e beijos completem o cenário

O afeto perdure e adentre o Ano Novo
Que passemos a desejar tudo isso de novo
Então haveremos de existir pela paz, pelo beijo e abraço
Pelos laços que não serão desfeitos jamais

É esse o Natal que eu quero pra mim
E ele só será assim se também for pra você
E você o desejar do íntimo do seu ser
Que ele seja pra todos e sejamos felizes

Felizes como a noite estrelada do Menino Jesus
Que esqueçamos a cruz e foquemos a manjedoura
Pois o nascimento reforça certezas
Então deixaremos o que é bom sobre a mesa

E em baixo do tapete as angústias dormirão
Um sono perene, eterno, pra sempre
Viveremos então, de um jeito diferente
E todos os dias serão de Natal

Lola (12/12/11)

24/11/2011

Janeiro Lunar

Lua linda que está por vir
Sabemos da sua beleza
Pois não há lua sem ser assim
Seu brilho virá com tudo
E tudo ficará ainda mais alegre
Que bom que vai ser assim
Janeiro enluarado
Prateado e cheio de sol
De raios que aquecem a alma
O corpo, a mente
Janeiro que virá
E transformará de repente
O que não se quer
Naquilo que se deseja
Janeiro lunar, com certeza!

Lola (23/11/11)

15/11/2011

Noite Poema

Te atravesso como a um rio
De almas calmas e mornas
Vejo a lua em ti
Te sinto e acho bela
De estranha luz
Que me seduz e acalma o sono
Um abandono me toma conta
Noite de brilhos
Insones desejos
E se eu te vejo
Nem durmo mais
Noite poema
É o que me trás
Meu pensamento
Deito-me em paz

Lola (14/11/11)

09/11/2011

Das Delícias do Amor

Seu beijo adoça a minha língua
Enquanto faço dieta pra lhe conquistar

Doce assim não pesa na balança
Só propicia bem estar

Quero mais do mel da sua boca
Me encher de calorias do seu gosto

Matando sede e fome ao mesmo tempo
Sentindo prazer em me sentir gorda

Empanturrada do seu corpo
Que me sacia como um todo

Lola (09/11/11)

07/11/2011

De Render-se Ao Amor

Render-se ao amor é experimentar
A melhor liberdade possível
Amor não prende, cativa
Amor não castiga, ensina
Amor é bom e amar é demais
Com amor tristeza nunca mais
Se entregar ao amor é sentir
A maior alegria que existe
O amor vence o impossível
Diz o que quer, o indizível
Mas cala no coração
Amor é pura emoção
Provar do amor é satisfazer–se
O amor nada custa, é de graça
E que graça é amar e ser amado
Que alegria é ter um namorado
Que acredite no amor e na sua amada
Amar é bom, amor é tudo
E o amado é tudo de bom, porto seguro

Lola (07/11/11)

04/11/2011

"Tudo é tão claro e eu posso ver"

“Tudo é tão claro e eu posso ver”
O que a insensatez me escondia
Agora tudo é como a luz do dia
Que não torna a nenhum gato pardo

É tudo obvio e eu então me calo
E não espero respostas impelidas
Pra mim tudo agora faz sentido
Já que não fez sentido algum o que pensei

Saio de cena e não me acanho do espetáculo
Que ensaiei nesta vida, neste palco
Sem haver estréia aplausos, espectador
Então ninguém vai sentir a minha dor

Nem mesmo eu que já estou anestesiada
Sem querer fazer nenhuma piada
Estou calejada e já nem sinto mais nada
Fecham-se as cortinas me abrindo os olhos

Da cegueira me refaço e aproveito
Das lições que a vida me trouxe deste jeito
Poderia até ter sido de outra forma
Mas acredito que tudo foi como devia

Então não há lamentos, sigo a vida
Sem esperar te encontrar em alguma esquina
N’alguma noite encantada em meus sonhos
Dormir apenas terá sentido literal

Aquietar o corpo, descansar os sentidos
Pra reviver a cada despertar
Com os ombros e a alma leves
Sem ilusões e sem correr perigo

Lola (04/11/11)

03/11/2011

"Ninguém é de Ninguém"

Nada que não me pertença virá a mim
Assim como o que é meu me encontrará
Estarei de braços abertos a acolher
O que for pra ser meu e assim o será
Quanto àquilo que não é e nem vai ser
Por mais que eu busque jamais vou encontrar
E não posso ficar triste se acontece
Pois o que é meu e ainda não veio peço em prece
E Deus me atende e no tempo certo me encaminha
Para que eu não tome posse, mas acolha
O que é melhor pra mim, pois é a sua escolha
Então agradeço e não temo o que há de vir
Assim como não lamento o que não vem
Nesta vida “ninguém é de ninguém”
Lugar comum que muito explica o rumo certo
Que a nossa vida vai tomando e assim espero.

Lola (03/11/11)

27/10/2011

Presente de Lu e Bruno

Linda amiga Lola...
Que linda e verdadeira sua poesia, essa que ferve dentro de você
e sai como o vapor de uma locomotiva desenfreada de inspirações.

Parabéns, amiga poeta e continue sempre nos presenteando;)

Obs: E aproveitando as palavras que comentei acima, fiz um dueto
com a Lú no msn e o resultado foi esse Indriso,
espero que goste. Beijos no seu lindo ♥

Lola-dama, poeta de linda e verdadeira poesia
que por vezes lhe ferve em calor por dentro
e sai feito vapor - desenfreada locomotiva (BG)

amiga de todos e de todas as horas poéticas
poeticamente sensível, contagia com seu sorriso
exalando um suave perfume de flor, por onde passa (LC)

deixando seu rastro de fé em esperança-caminho (BG)

Lola menina, poeta, seu gesto é doce carinho. (LC)

Luciana Celi e Bruno Gaspari

Sem Saída

Seria tão mais fácil dizer que é desejo
Ah, como seria mais fácil querer só teu beijo
Teu corpo, teu sexo
E o resto
Que resto?
Em ti só há o todo que me inebria
E me deixa assim, cheia de fantasias
Sentindo como amor algo que não devia
Se fosse só desejo eu não sofreria
Não sentiria saudade, apenas vontade
E a cada desejo te procuraria
Mataria minha sede, minha fome, minha gula
Mas não consigo pensar (e de quem é a culpa?)
Que devo te desejar e não te amar
Pois amo, isso sei, amo de verdade
E não há nada nem ninguém nesta vida
Que me faça recuar e buscar a saída

Lola (26/10/11)

De Poeta e Louco

De poeta e louco todos temos um pouco e se não usarmos o lado poeta, só o louco nos resta.

Lola (26/10/11)

Sinto Muito

O sinto em cada palavra escrita
Mas sinto muito, muito mais nas que calam em minha pena
Em minha boca
Em meu teclado
Sofro se calo, mas continuo a amá-lo

Lola (26/10/11)

24/10/2011

Kiwí

Kiwi, ácida e doce, fruta boa

Invade meu paladar e mete bronca

Mas faz de conta que nada causa e segue à toa

Paira entre as bocas e aproveita todas

Essa inquietação que nem sabe explicar

Ri de tudo e todas e nunca se cansa

Sabe a esperança bem alimentar

Outras se encantam e assim complicam

Nada se sabe além do que ela quer

Sempre um enigma há a desvendar

Lola (24/10/11)

07/10/2011

Acolhendo Alice

Parece que te esperei a vida inteira
E com o encontro apenas te reconheci
Eras tu mesmo que há tempos esperava
E sou feliz por ter-te agora junto a mim
Bem vinda sejas, junto à família que é tua
E assim sendo vai saber te cuidar bem
A partir de agora só alegria, vida intensa
Repartiremos e multiplicaremos só o bem
Vida longa e leve a ti desejo, pequena Alice
No país das maravilhas naturais e culturais
A ti que agora és Lucena e és Morais
Posto que os nomes das famílias já marcaram
A tua origem e tua presença aqui conosco
E já te amamos sem fazer nenhum esforço
Sabendo que te amaremos muito mais
A cada dia que contigo estivermos
E que cada um deles seja vivido em plena paz

Lola (05 e 06/10/11)

27/09/2011

Da Ausência

Tento sim não desejar esse amor
E enquanto tento amo ainda mais
Porque será que tua presença trás
Aquilo que a ausência não desfaz?

O desejo continua o tempo inteiro
E é por inteiro que me dou à tua existência
Que abraça a minha, como dizes, ainda lembras?
Nem dizer sobre me dar a ti eu posso

Já que nem vens, nem me procuras só te ausentas
Bobagem minha amar assim ou amar é isso?
E se for será possível algum proveito
De um sentimento que nos invade sem respeito;

E pensa ter direito sobre nossa vida?
Duvido às vezes se é amor meu sentimento
Posto que geralmente só me trás lamento
E sobre amor aprendi que não é sofrimento

E sim alegria, felicidade todo dia
Muitas vezes sinto certa nostalgia
De um tempo em que eu nem te conhecia
Sorria alegre, contente e independente

Nem precisava de tua aprovação
O que virou agora questão maior
E minha vida passou a só ter sentido
Se tua presença for sentida e eu a sinto

Mas sinto ainda mais, bem mais, a tua ausência

Lola (27/09/11)

Sentindo Você

Ouço a canção
Vejo a paisagem
Sinto seu cheiro
Tudo ele invade

Lola (27/09/11)

25/09/2011

Para Tia Hozana Pelos Seus 80 Anos

Eu senti muito não ter ido à sua festa
Mas acontece que realmente não deu
Mesmo distante pedi a Deus em uma prece
Que nunca esqueça um segundo o cuidado seu
E Ele me respondeu suave, mas contundente
- Não, não esquecerei um só instante
Ela já é abençoada, acredite
E ainda será bem mais a partir de agora
As suas dores sejam físicas ou da alma
Serão sanadas como num passe de mágica
E só alegrias viverá a sua tia
Pois já a proporcionou a todos que lhe cercam
E nada mais justo que você me peça
E eu prontamente lhe atenda
Então sossegue criatura, fique calma
Porque Hozana a partir de agora
Só receberá em troca os louros que faz jus
E eu sosseguei, fiquei calma, bem tranqüila
Pois não quero mais nada nessa vida
A não ser a felicidade de quem amo
E entre os que fazem parte neste plano
Do rol das minhas pessoas queridas
Encontro a Senhora, minha tia, tão linda
E serei feliz vendo a felicidade sua

Lola (25/09/11)

24/09/2011

Triste Sina

Me chateia a falta de inspiração
Pois desejo escrever apesar de
Mas que fazer se as palavras não me acham, se afastam de mim?

Vou escrevendo mesmo assim, embora sem graça
A única fonte que me inspira
Anda seca, sem vida e água

Nada posso escrever
Senão lamentar minha mágoa
Que desgraça a vida assim sem nada

Sem letras, sem mote, sem poema
É um dilema, morte em vida
Triste como despedida

Triste demais a minha sina

Lola (24/09/11)

Elizabeth

E is que ela adentra a comunidade
L ogo a luz se faz presente
I luminando o espaço
Z em ele fica pr’agente
A doro a presença dela
B onita e de bem com a vida
E o seu nome de rainha
T em um charme especial
H umor que irradia alegria

Lola (24/09/11)

Insensatez

É preciso guardar um pouco de lucidez para as horas de aflição
Deixar que a loucura invada apenas quando está calmo o coração
Maluques com tristeza não combina
Mais vale ser maluco beleza em momentos de certezas
Mesmo que estas não passem de bobeira que o coração imagina
Mas se forem sentidas já valeram a pena

Lola (24/09/11)

Pelo seu aniversário, Mel

M el, menina açucarada
E la nos encanta com poesia
L eve, suave e sorridente
I ndo e vindo acaricia
N uvem de algodão doce
A miga querida minha

21/09/2011

Quero ser Ponte



Ainda escrevo sobre teu amor, amiga minha
Pois quero mesmo que encontres o teu par
Homem sem rosto, sem corpo, mas com alma
Que já existe, não sei se aqui ou em outras plagas

Que venha e traga consigo o que desejas
E que te enfeite de flores iguais a ti
Que de cada uma exale o aroma mais suave
E que a beleza enfeite teus dias e traga a calma

Que tu aspiras e que tem a ver com sua chegada
Sim, ele existe, onde, não sei (são tuas palavras)
E eu te falei que isso daria um poema
Quem sabe assim não serei ponte entre os dois

E te levarei ao teu grande amor ou o trarei a ti
Sim, pois acredito que ele há de existir
E ouvirá o teu chamado a partir de mim
Que venha logo e que te faça bem feliz

Lola (21/09/11)

18/09/2011

Sobre Lua e Despedidas

A Lua míngua lá no céu, mas ainda insiste
E é um convite pra mais linhas eu escrever
Já fiz isto tantas vezes para ela
Mas que fazer se é isso que ela ainda quer
Sento-me e ensaio algumas poucas palavrinhas
E endereço ao universo onde ela está
Olho pra cima e me arrepio, dá saudade
Porque nem sei se amanhã ela voltará
E assim também é com as pessoas que eu amo
Contemplo todas e me despeço a cada encontro
Pois nunca sei se chegarei a ver de novo
E guardo cada momento na memória
Pois se um dia, realmente for embora
Terei pra sempre a imagem das boas horas

Lola (18/09/11)

À Espera de Alice

Aprendi a ser mãe com a minha mãe. Nada mais legítimo. Fui criada como a maioria das mulheres, pra cuidar e esse cuidado se estende da casa aos filhos e às pessoas que fazem parte do meu círculo social.

Ser, mãe, embora a antropologia mostre que é algo bem mais cultural do que biológico, visto que é aprendizado processual e construído, se revela naturalmente, porquanto é naturalizado pelos costumes, que a própria antropologia reconhece.

A naturalização da maternidade nos faz ver, enquanto seres sociais que somos que essa é uma tarefa eminente feminina, nos fazendo olhar com estranhamento diferentes maneiras de ser mãe.

Tenho vivenciado um evento que elucida a afirmação antropológica e que mostra o quanto o processo de maternagem pode ser experimentado não só por mulher que dá a luz, nem muito menos apenas por mulher, como também não de maneira meramente individual. Venho acompanhando um processo de maternagem coletivo e ele me salta aos olhos como espectadora que virou fã. Falo do que vem acontecendo na minha família a partir da gravidez de Priscylla, minha filha mais nova.

Na verdade, o que venho assistindo é um verdadeiro espetáculo de amor ao próximo e à família.

Desde o momento da revelação aos meus irmãos de que eu iria ser avó, algo mais se revelou. Não que eu já não soubesse e sua existência, mas o carinho, amor e sentimento de união afloraram mais belos e sorridentes.

Todos querem ser mães, pais e avós de Alice e eu diria que sinto legitimidade nesse querer, posto que é o bem querer a mim e à minha filha que se manifesta na expressão de amor a Alice.

Sejamos então avós, coletivamente, assim como temos experimentado a maternidade de nossos filhos e sobrinhos de maneira igualitária.

Só uma família verdadeiramente intensa pode sentir e praticar algo do tipo. E eu só tenho a agradecer a Deus não ser a única avó materna da minha primeira neta. Como bem sei não serei dos outros tantos netos que hão de vir. Amor é sentimento coletivo e por sê-lo, é de maneira grupal que ele melhor se mostra.

Alice chegará a qualquer momento, pois Priscylla já completou as quarenta semanas necessárias para sua formação intra-uterina. Quanto à extra-uterina, está por vir e certamente não será processada apenas por Pri e Fábio, mas por todos esses pais e avós que curtem esse momento lindo e significativo para a nossa família.

Seja bem vinda, Alice! E reconheça em cada um de nós um pouco do amor que Deus ensinou a José Felinto e Nicinha e eles tão bem souberam imprimir em nós.

Vida leve, suave e bela a Alice!

Lola (18/09/11)

15/09/2011

Faça o Favor

Quando forem meus os acordes que tocares
Quando da tua boca a palavra proferida for pra mim
E o teu tempo comigo ocupares
Aí sim, direi que me amas, enfim
Enquanto tocares baixo ou alto o teu som
Emudeceres o teu canto, meu amor
E teu tempo gasto de outras for
Não tentes me esconder, faça o favor
Que gostas mesmo é do que vai de mim pra ti
Que apenas queres o amor que dou

Lola (15/09/11)

Toca-me

Toque em mim
Faz-me teu instrumento
O que preferires
Mas toca-me
Suave, ou nem tanto
Toca-me com volúpia
Mas com carinho
Toca-me e escuta-me aonde for
E tuas mãos vão produzir o melhor som
O do amor
E nos teus o lhos eu direi com os meus
Eis aqui o que querias ver
Eis aqui todo o meu prazer

Lola (14/09/11)

13/09/2011

Queira-me sem medo
Só mordo se quiseres

Lola ( 12/09/11)

Amor Velado?

Nunca fui de acreditar em amor velado.
Gosto de amor rasgado, sangrado, devastado. Isso sim é amor.
Contemplação ficou para os que pensam que o amor pode ser mais abstrato do que os demais componentes da vida.
E não pode.
E não deve.
E não é.
Tudo é abstração, mas há um processo de objetivação que torna tudo palpável.
Essa é a nossa função, enquanto sujeitos sociais.
(Daí vem os conceitos de signo, de símbolo, de ícone, etc. a cada percepção do real, o sujeito trabalha para processá-lo, com o aparato cultural; só assim as coisas ganham significado)
Deixar um dos aspectos da vida no armário das abstrações é não dar acesso a ele.
Quero amor vivido, a despeito da maneira de vivenciá-lo.
Mas tem de ser vivido.
Se não for, não é amor, é engano.

Lola (13/09/11)

12/09/2011

Tua

Hoje acordei mais tua do que nunca
Sem saber se me aceitas assim, nua e crua
Sou assim e se me aceitares, me devora assim mesmo
Nua e crua
Melhor que se abster de mim por sentir medo
E sentir fome
E sentir sede
E não te sentir inteiro
Vem
Guardo em segredo que sou tua
E te completo por inteiro

Lola (12/09/11)

10/09/2011

A Morte da Esperança

Em mim morreu a última dos que morrem
Fiquei sem ela, a esperança foi-se
Ela que me disse que sempre seria companheira
Mas que besteira - pra sempre não existe, é brincadeira
E entre as brincadeiras que me disse foi que era verdade, que ele existe
O procurei por todo canto e não encontrei
Acho que ela mentiu pra mim mais uma vez

Lola (10/09/11)

Não Dá

Saudades sinto demais
Nem tenho como negar
Mas nem ela me fará encontrar
No teu olhar algo a mais
Do que realmente há
Desejar, claro que sim
Mas delirar não... Não dá...
Já fiz assim
E o que restou de mim?

Lola (10/09/11)

09/09/2011

Amizade (Para Carla)

Amizade que me veio em hora certa
E com a certeza da hora me fez bem
Amizade que hoje não trocaria
Por nada nem por ninguém
Amizade das boas, bem profunda
Um encanto de pessoa e de flor
Amizade assim me passa amor


Lola (10/09/11)

08/09/2011

Ah, moreno...

Ah, menino se soubesses que ando assim, boba de amor
Nem sei o que farias, mas me acharias boba sim
Isso porque se me dou, dou-me inteira
E nem adianta disfarçar
Teu corpo é meu lar, é nele que quero estar
Para fazer morada e acariciada
Doida de amor continuar
Ah, moreno, em meus sonhos já te tenho
E há motivos pra sonhar
A vida é bela, o mundo é bom
E só amor existe além de ti
E além de mim, só tu existes
Assim, moreno...
Assim...

Lola (08/09/11)

06/09/2011

Sobre a Poesia de Américo

De encantamento e palavras sussurradas
Vive o poeta, a cada encontro festejando
Se nos encontramos entre poemas e metáforas
Não é por acaso que acho graça e desperto
O meu olhar e aguço os meus ouvidos
A festejar a lira solta nos seus gestos
E encontro beleza nos versos de Américo

Lola (06/09/11)

De Olhares e Bocas

Olhando-te nos olhos
Pedindo-te a boca
Desejando-te em mim

Fico assim
Sempre que te vejo
E vem a vontade

Eu tomo coragem
E te digo assim:
Vem, vem sim.

Lola (05/09/11)

04/09/2011

Desejo de voar


Voando eu chegaria até você
Levaria comigo tanto amor
Que a viagem seria dificultada
Sobrepeso de bagagem, sobrecarga
Meu amor por você é imenso
(Só as asas da imaginação suportam)
Vou continuar com você em pensamento

Lola (04/08/11)

26/08/2011

Você é o Meu Amor


Quando digo que amo, encontre aí a resposta para todas as suas indagações
Só sei amar se for assim:
Pensando no amor o dia inteiro
Desejando o amor o dia inteiro

Sentindo saudade quando há distância
Sendo feliz com a proximidade
Se eu lhe amo, você é o meu amor
Se você é o meu amor, é a razão de tudo que sou capaz

Você é omeu amor

Meu sentimento vai além das palavras
Mas elas não conseguem sossegar enquanto não forem compreendidas
Se você é o meu amor, compõe a minha vida
E a composição que resulta desse encontro tem tom suave, mas vibrante

Lola (26/08/11)






24/08/2011

Segredos do Coração


Ah, mas se dizes que me amas
Quem sou eu pra duvidar
Guardarei o teu segredo
No melhor lugar que há
Meu coração tem tamanho
Espaço e até conforto
Dentro dele tuas palavras
Terão mais som, mais vida e cor
São palavras mais que belas
São palavras de amor
E em meu coração guardadas
Terão vida plena e longa
Não haverá quem as retire
Protegidas em minha redoma

Lola (24/08/11)


Lu, sua poesia fala em alto e bom som. Mas também sussurra ao pé do ouvido...

23/08/2011

Se


Se eu te desse todo o sentimento que eu tenho
Nem saberias o que fazer com ele
Pois é tanto amor, tanto desejo
Que até eu mesma me espanto
Vivo assim, por ti, contigo
Em pensamento o tempo todo
Se faço isso ou aquilo
Faço contigo, não há dúvida
A única que me atormenta
É se tu, quando souberes continuas
Ficas comigo ou vais embora me deixando
Apenas com as lembranças do que nem fomos

Lola (23/08/11)

20/08/2011

LOLA E LULUZINHA


Mais uma homenagem prestada pela amiga Lu...Amei!

Sobre o post de Carla


Tem coisas que ao lermos pensamos sobre elas – eu poderia ter escrito. Há outras que pensamos alguém poderia ter-nos escrito. Foi o que aconteceu comigo, ao ler o texto de Marta Medeiros, postado pela amiga Carla, na PENSARE.


Pensei: estas palavras me soam como se houvessem saído da boca de alguém e diretamente pra mim. Eu diria que ao ler, imaginava a face dela, da pessoa que escreveu, e ela tinha um olhar tão conhecido, um cuidado tão igual.


Mas identificação é assim mesmo; nos identificamos com algumas coisas e imaginamos que elas existem por nós, ou para nós. Foi isso o que me aconteceu em relação a ele. Eu o vi, nem gostei da sua imagem no primeiro momento, mas algo nele me seduziu de primeira, é por isso que costumo acreditar em amor à primeira vista. Sei que esse termo primeira aparece como exagero,como expressão útil para se destacar o que se quer dizer. E eu diria: me apaixonei desde então, desde a primeira vista.


Ao ler o texto de Marta Medeiros, cujo título Carla suprimiu, viajei na imaginação e alcancei o pensamento dele. E era igual ao relatado na crônica. Fiquei triste à primeira leitura, mas voltei a ler tentando entender melhor. E percebi que algo em mim lhe cativa ou cativou, apesar da alegria que surgiu com o distanciamento.


Mas acredito tanto que muitas vezes é preciso “morrer pra germinar, plantar n’algum lugar, ressuscitar do chão”... Então passei a ver o texto não mais com ênfase na despedida e sim como um aceno de que o que ainda não foi pode passar a ser. Ou seria o que já foi voltará a ser?


Bem mais que ressurreição eu aguardo o retorno, “o eterno retorno,” no dizer de Nietzsche, aquele que quando acontece vem com as mudanças necessárias e boas. E se isto não acontecer, pelo menos ficarei feliz em ter-lhe proporcionado uma alegria, mesmo que esta seja a de prescindir de mim, da minha companhia.

Lola (18/08/11)

“Colírio para os Olhos e Música Para os Ouvidos”



Ontem participei de um evento do tipo que eu mais gosto - em família. Tratou-se do aniversário da minha tia Neves. Ela fez oitenta anos e era gêmea de tia Céu, que se foi com pouco mais da metade desta idade. Tia Céu, além de muito querida era a minha madrinha e eu tinha por ela uma admiração especial, tanto que a escolhi para ser minha dinda, isso aos nove anos de idade.

Mas falemos em tia Neves e na comemoração dos seus oitentinhas. Foi um momento especial, onde poucos convidados se fizeram presentes, mas a receptividade dos anfitriões e o aconchego da vida familiar foi a tônica.
Percebi em tia Neves, um brilho no olhar que há muito não via, e a alegria de estar a nos receber.

A cada momento eu sentia falta de mamãe, apesar de praticamente a ver pelos cantos da casa. Além da ausência das tias e tios que já partiram desta vida. Tia Neves é a única irmã viva, por parte de vovó (os demais tios estão vivos mas são filhos apenas de vovô.

Posso afirmar que um dos momentos mais lindos foi o recital de Tiago, neto de tia Neves, que deu um show espetacular e encheu nossos ouvidos de boa música, tanto quanto os nossos olhos de lágrima e nossas peles de arrepio. A voz dele parece que vem do céu e volta a ele em segundos, nos quais sentimos o corpo praticamente levitar.

Linda voz, lindo repertório e mais linda ainda a iniciativa do jovem tenor de nos presentear com sua música.

Para cada ária um comentário explicativo. Sempre sonhei em assistir uma ópera e ontem pela primeira vez, praticamente me senti como se assim o fizesse, inclusive pela elegância do cantor, tanto em relação ao figurino quanto aos modos.

A vida nos reserva surpresas boas. Que bom! Apesar de tantos pesares, conseguimos retomar o fôlego em momentos como aquele, onde a comunhão com a família e a arte nos enlevam o espírito.

Entendi o momento de ontem como um refrigério para nossos corpos e almas cansados de chorar de saudades e de aflições.

O momento dos parabéns, a volta na mesa (costume lá de casa), os pedidos de bênçãos para a aniversariante, e por fim, a oração da prima Conceição, filha de tia Neves, que pediu ao criador que nos renovasse as vidas e aceitasse o pedido de cada um de nós como sendo o seu intento a partir de então, a resolução dos mesmos.

Leve – é assim que me sinto ainda hoje e garanto, me sentirei amanhã. Porque um evento desses transcende ao momento e irradia bênçãos e glórias por um bom tempo.

Agradeço a Deus pela vida da minha tia querida e pela união da nossa família, ratificada naquele sublime momento - “Colírio para os Olhos e Música Para os Ouvidos”.

Lola (20/08/11)


18/08/2011

Sobre o post de Melina


Pois é, a gente se acostuma a tudo que é ruim, frio, nefasto, sem sal. A gente se acostuma a rir sem achar graça ou até a não rir quando acha graça... O que evitamos muitas vezes é se acostumar com coisas amenas.

Porque geralmente se enrijece para evitar a dor da perda, por exemplo? Porque se evita a aproximação para aliviar o distanciamento que poderá vir com o tempo?

Eu disse poderá porque é uma das possibilidades; nem sempre há distanciamento quando as relações esfriam num certo sentido. As relações são mutáveis e como tal, passíveis de se transformarem em outro tipo de relação, mas que seja tão boa quanto.

Deixar que as relações esfriem antes mesmo que peguem fogo, pra mim não seria o caminho mais correto e nem mais fácil. Estudar possibilidades de um relacionamento ser ou não ser é desejar racionalizar mais do que o permitido para permitir que ele seja.

E que ele seja o que tiver de ser. É de sua natureza ser o que der pra ser. Não pensemos tanto, sintamos mais...

Lola (17/08/11)

Juntos na Emoção

Você sabe tanto sobre mim
Meu jeito lhe cativa e fica assim
Eu aqui, você aí
Mas sempre estamos juntos na emoção
Porque se você sabe de mim
E acho que também sei de você
Meus olhos só procuram esclarecer
O que os seus às vezes me confunde
Mas gosto tanto de lhe sentir assim
Pois prefiro assim a não ter nada
E como poderia eu viver sem sua calma
A me mostrar o freio e o caminho
E que neste poderemos nos encontrar nas madrugadas
Quando o sono bate, adormeço e sonho
Ou quando a insônia toma conta de mim e você me afaga

Lola (17/08/11)

Ambíguo



Não sei no que vai dar lhe ter assim como agora
Será melhor desistir, ir embora
Ou aproveitar o que tenho que é melhor do que ter nada
Ficar assim na dúvida ou ter a certeza de que embora
Você seja o que não é eu vejo você sendo assim mesmo
E sendo assim ambíguo eu viajo no desejo

Lola (17/08/11)

Noite, luar e você



Hoje a noite tem luar
Tem amor
Tem você
Sim, tem você
Poderia não ter noite
Não ter luar
Mas teria de ter você
Sempre há de ter você
Para eu bem querer
E dizer
Amo você
Mas que bom que tem luar
Que bom que tem noite
Que bom que tem amor
Claro, pois tem você

Lola (16/08/11)

15/08/2011

Laço Rosa Por Sininho

Tenho uma amiga virtual que está com problemas de saúde e fará uma angioplastia. Um amigo comum, também virtual, falou que é costume judeu que quando alguém está doente, se for mulher, os amigos e familiares usem um laço rosa, até que a pessoa se recupere. Pensando nisto, ele iniciou a "campanha do laço rosa por Sininho" e eu achei lindo. Daí surgiram ilustrações de lacinhos rosa e eu, empolgada, escrevi:


Já ouvi falar em cordão vermelho
Também em cordão azul
Mas a PENSARE nos presenteou
Com um lindo laço rosa
Não é cordão, mas aperta
Os corações que se inflamam
Cheios de amor e esperança
Tudo por você, Sinhinho

E foram aparecendo lacinhos rosa...













Lola (13/08/11)

Proposta


Quero te amar de verdade
O que é isso, tu sabes?
Pois se todo amor é verdadeiro
Porque não consigo te amar por inteiro?
O que falta em mim ou sobra em ti?
Diz pra mim e negociamos
Aparamos as arestas, nos acertamos
E só de amor e por amor viveremos a sorrir

Lola (13/08/11)

12/08/2011

Perdida de Amor



De te querer vivo assim, triste e cansada
Já nem durmo, perco a fome e as madrugadas
Rolo na cama, sonho contigo acordada
E nem sei dizer se tu me reconheces quando passas
Tento falar, mas emudeço, não sai nada
Minha voz cala e a vontade só aumenta
Porque será que te amar me faz tão mal?
Porque será que vivo assim, nessa tormenta?
Se me ensinaram que amar sempre vale à pena
E se a alma não for pequena então, tudo é válido
Enquanto isso vou te amando e me perdendo
E nada vale se não me perco nos teus braços

Lola (11/08/11)



10/08/2011

Conheço alguns poetas que merecem, e muito, serem lidos:

¬¬ Bruno Gaspari
Recanto das Letras:
http://www.recantodasletras.com.br/autores/brunogaspari
Antes do Amanhecer:
http://bs-bg.blogspot.com/
80's 4ever:
http://80s-4ever.blogspot.com/

Geuza Mariah
http://www.enigma-geuza.blogspot.com/

Luciana Celi
http://cheiro-de-poesia.blogspot.com/

Mercedes G
http://quebreo.blogspot.com/
http:doceservocemercedes.blogspot.com

P. Júnior
http://www.recantodasletras.com.br/autores/pergentino

Anderson Tomás
www.amaresimples.blogspot.com

Além de outros que seguem meu blog. Todos merecem serem seguidos e lidos.


*O desenho é meu e o poema e edição de imagem é da amiga e poeta Mercedes G



O poema é meu, a fotografia é de um primo meu, ainda não sei qual ( vou procurar saber) e a edição de imagem é da amiga e poeta Luciana Celi.



* O poema é meu e a edição de imagem é do amigo e poeta Bruno Gaspari.

06/08/2011

Palavras Amenas

Quero fazer versos bonitos
Desses de arrepiar
Mas que posso fazer se a minha sina
É apenas falar palavras amenas
Estas não arrepiam
Mas inebriam a alma
Não me arrependo em nada
De tê-las escritos um dia
E que a minha, a nossa vida
A partir da palavra escrita
Seja sempre mais bonita
E abençoada por Deus

Lola (06/08/11)

01/08/2011

A Poesia do Dia a Dia

A chuva cai nesta tarde de domingo
Minha preguiça é aguçada pelo clima
O friozinho entra pelas frestas das janelas
E por elas eu vejo a chuva caindo
Escuto aquele barulhinho tão gostoso
Sei que o que escrevo não é poema
Mas é poético o espetáculo que assisto
Por isso escrevo, não desisto e acredito
Que os poemas só existem desse jeito
Passam a existir se ousarmos escrever
O cotidiano, trivial e até simplório
Mas revestido de beleza e de poesia
Isso me deixa repleta de alegria
E eu tento dividir com todos escrevendo
E cada pessoa que vai lendo
Passa a acreditar na possibilidade
De deixar registrados seus momentos
E assim a literatura vai surgindo
E enriquecendo a vida de quem a consome
Li em algum lugar que só é feliz quem consegue
Ostentar seu dia a dia
Eu iria um pouco além e diria
Que escrever faz a vida mais completa
Repleta de letras a vida encanta
E voltamos a ver o mundo igual criança

Lola (31/07/11)

Insípida

To sem gosto pras letras
Nem em sopas tenho achado
A gripe me invade o corpo
O coração fica cansado
A alma pede aconchego
Mas só o encontro deitada
A cama me acompanha
Enquanto desejo solidão
Pois a companhia dela
Me parece uma prisão

Lola (28/07/11)

COMENTÁRIO DE MELINA

♪ ♪♪♬ ♪Lola♪♪♬

Pois que nunca uma palavra musicada se lerá insípida...

"Pras letras, se diz sem gosto
Cansou de nos dar sopa
Expulsa a gripe do corpo,
O coração deixa alado
Abre as asas da alma
Encontro na cama é bom
Mas tem que ser acompanhada
Solidão encontra desejo
A letra já deu a volta
No quadradinho da folha
Agora parece solta... "

(Mel Coury via ♪ ♪♪♬ ♪Lola♪♪♬)

22/07/2011

(ㄨ) Bruиo

ESTOU PRESENTEANDO MINHAS AMIGAS BLOGUEIRAS
QUE MAIS CURTO, RESPEITO E ADMIRO, ENTÃO LOLAAA RS
ESSE SELO É MEU PRESENTE PARA O SEU BLOG FLW? BJS;)


16/07/2011

“Deus proveu, Deus proverá"

Creio que Deus sabe o que faz e entre as coisas que vem dele não compreendemos muitas vezes porque acontecem algumas desagradáveis. Precisamos recordar o livre arbítrio e que com ele, muita coisa indesejada a Deus acontece.

Respeitar a lei de Deus pode até não ser tão fácil, mas é o caminho para uma vida no mínimo amena, quiçá maravilhosa.

Mas nós humanos, no afã de ter e ser conforme os ditames da sociedade que nos molda, passamos a desejar mais, muito mais do que necessitamos. Daí a correria louca, desenfreada à procura de mais e mais. Não desejamos apenas fazer um curso superior, precisamos de pós graduação, não desejamos mais um carro para a família, desejamos que cada filho tenha o seu. Não nos basta a comida domingueira feita em casa, precisamos conhecer os point gastronômicos da cidade. E assim vamos sucumbindo à premência de ter mais de um emprego para dar conta da nova ordem que se instaurou em nossas vidas. É nesse momento que acabamos por ser influenciados por inspirações nefastas e nos entregando ao erro. Além de aguçarmos os olhos maus da inveja e da mesquinharia que finda por nos manipular de tal forma que pode chegar a nos desgraçar a vida.Com seu amor imenso e sabedoria irreprochável, Deus nos concede outras oportunidades. Raras não são as vezes que ele não nos concede o perdão e nos alivia a falta. Mas é preciso discernimento e compaixão para que a partir dos erros nos reconstruamos e passemos a ser em Suas mãos, instrumentos de vida, na mais plena acepção da palavra.


“Deus proveu, Deus proverá, sua misericórdia não faltará.”

Lola (18/07/11)


PS: Escrevi este texto em homenagem a uma pessoa muito querida que está recebendo de volta o CRM e com ele o direito de voltar a curar os que precisam de cuidados médicos. Na esperança de que a experiência nada agradável sirva para que ela jamais cometa os erros de que foi acusada. E que saiba honrar o juramento que fez. Bem como ensejando que as mentes malignas que traçaram o plano que quase acaba com a sua carreira, se utilize da inteligência que Deus lhes deu para também cuidar dos doentes, afinal médicos existem para isso.

14/07/2011

Porta do Céu










Céu que acolheu minha mãe
Portal para a vida eterna
Mais próximo de Deus está
Quem só o bem fez na terra
Que sempre com Deus esteja
E não sofra por saudades
Mais vale a vida na luz
Que na terra cheia de maldades
Não combina com seu jeito
Você foi feita pra brilhar
E nem um céu tão bonito
Vai poder lhe ofuscar
Pois a sua luz é tão bela
Quanto a que nele há

Lola (14/07/11)

Mãe do Amor

30 dias de saudade
De pensamento em você
Minha mãe, minha doce amiga
Não haverei de esquecer
Tudo o que é para mim
Minha querida mãezinha
Deus te fez minha rainha
E eu agradeço por ter
Convivido tanto tempo
Apesar de desejar
Muito mais tempo ficar
Junto a você, mãe querida
O que seria da minha vida
Se eu não tivesse você
Pois tudo o que sou reflete
O amor que recebi
Do seu coração imenso
Tão grande que às vezes penso
Ser maior que o mundo inteiro
E nem caber nesse mundo
Por isso então, anjo lindo
Você foi ao céu levada
Pelas mãos de Deus que sabe
Que você, além de amada
É mãe do amor, minha cara
Portanto fique tranqüila
Descanse o quanto puder
Que aqui sempre estaremos
Rogando a Deus, bem querer
Para que siga seu rumo
De luz que agora é
Ou melhor, que sempre foi
Pois se há luz e energia
É a que sempre irradia
De tudo o que vem de você

Lola (13/07/11)

13/07/2011

Mãe do Amor

30 dias de saudade
De pensamento em você
Minha mãe, minha doce amiga
Não haverei de esquece r
Tudo o que é para mim
Minha querida mãezinha
Deus te fez minha rainha
E eu agradeço por ter
Convivido tanto tempo
Apesar de desejar
Muito mais tempo ficar
Junto a você, mãe querida
O que seria da minha vida
Se eu não tivesse você
Pois tudo o que sou reflete
O amor que recebi
Do seu coração imenso
Tão grande que às vezes penso
Ser maior que o mundo inteiro
E nem caber nesse mundo
Por isso então, anjo lindo
Você foi ao céu levada
Pelas mãos de Deus que sabe
Que você, além de amada
É mãe do amor, minha cara
Portanto fique tranqüila
Descanse o quanto puder
Que aqui sempre estaremos
Rogando a Deus, bem querer
Para que siga seu rumo
De luz que agora é
Ou melhor, que sempre foi
Pois se há luz e energia
É a que sempre irradia
De tudo o que vem de você

Lola (13/07/11)

12/07/2011

Sobre a Dor da Saudade

Vontade de escrever coisas bonitas
De sentir que a vida é bela e acreditar
Que o melhor está sempre por vir
E fazer de tudo para alcançar

O meu intento e sempre trabalhar
Em prol de mim e dos que me fazem tão bem
Não deixar dúvidas sobre o que sinto
E sentir sempre o que melhor convém

Doçura, paz, amor, encantamento
Mas só lamento vem me visitar
Descubro agora que sou tão feliz
Por isso posso sentir tanta saudade

Pois só quem ama e é amado sente
A falta de quem lhe é muito caro
Não raro choro, é verdade, não escondo
Mas mesmo assim eu acredito vale à pena

Seguir vivendo, tentando e esperando
Que amanhã seja bem melhor que o hoje
Que já está sendo menos ruim do que foi ontem
A dor não pode suplantar a felicidade

A alegria sim, essa se esgota, é verdade
Mas há de voltar a me fazer companhia
E quando este dia chegar eu saberei
Escrever coisas bonitas e prazerosas

Sentir em tudo a fragrância de uma rosa
E a beleza dessa flor tão linda
Agradecer de novo a Deus por minha vida
E por tudo e todos que dela faz parte

Até a saudade que me maltrata agora
Mas que um dia vai virar alegria
De poder senti-la com sorriso nos lábios
E voltar a viver felicidade

Lola (12/07/11)

09/07/2011

Reinações de um REI menino

Desde janeiro deste ano eu freqüento assiduamente a comunidade Mário Quintana no Orkut. A M.Q. como a chamamos, é uma comunidade alegre e cheia de pessoas interessantes, o que me cativou.
Pouco tempo depois de adicioná-la, passei a fazer amizades com pessoas de vários estados do país e a me identificar com algumas delas.
Entre as amizades mais queridas, me veio uma pessoa, cuja fotografia de bebê no perfil me fez imaginar se tratar de alguém bem mais velho que eu. Não sei por que, mas foi isso que pensei. E certo dia, lá estava ele, fazendo parte do meu rol de amigos do Orkut. Estou falando de REI, astrólogo, cujas brincadeiras nos vários tópicos que compõem a M.Q. me atraíram de maneira engraçada, pois quase brigávamos brincando, chegando a transparecer uma rixa entre nós.
REI foi se chegando e com ele, além das dicas astrológicas de cada dia, passou a me enviar crônicas, textos, poemas. Num primeiro momento, Manoel de Barros se fez presente diariamente, até chegar a vez de Fabrício Carpinejar.
Este amigo é uma pessoa diferenciada, visto que seu jeito de nos envolver com a palavra escrita vai além de mera indicação de leitura ou sugestão de um texto que leu. Nem tampouco se assemelha aquele tipo de pessoa que, a partir de uma leitura superficial, posa de bom leitor e faz de conta que sabe tudo.
Ao distribuir impecavelmente palavras que dão gosto ler com seus amigos do Orkut, REI vem promovendo uma revolução silenciosa. Tem nos atraído à leitura de uma maneira tão prazerosa, ao ponto de criar expectativa sobre qual será o texto do dia. Digo isso de cadeira, pois é assim que me sinto, envolvida com essa leitura diária que muitas vezes chega a ser a única do dia, dependendo do momento que eu esteja vivendo. Cansada da leitura obrigatória e técnica, nada como relaxar ao mesmo tempo que reflito sobre o cotidiano social e suas facetas contidas de relações de gênero, afeto, aspectos políticos e até banalidades, que me vêm nos textos enviados por REI.
Sou capaz de apostar que se eu fizesse uma enquete pra detectar o impacto que a leitura proposta por REI às amigas da M.Q. obteria resposta semelhante ao que estou confessando; ler “REI” em doses homeopáticas diárias tem nos feito um bem enorme. Seja pelo simples prazer que o ato de ler desperta, ou pelo teor “politicamente correto” que os textos encerram.
Esta singela crônica não dá conta do reconhecimento pelo bem que nossa amizade tem me proporcionado, mas é uma tentativa de expor, em simples palavras o quanto aprecio receber, geralmente no início de cada noite, as dicas do zodíaco envoltas a textos escolhidos a dedo, de maneira que cada pessoa, a partir do encantamento que eles proporcionam, acredite que tenha sido escolhido pensando em si.
REI, você faz jus ao apelido que recebeu. Coroado da grandeza que só pessoas especiais tem, nos faz sentir súditos “reais”, dentro de uma relação virtual repleta de verdade. E ainda me dá dados interessantes para minha mania de pesquisar dois dos objetos de estudo aos quais me dedico, a saber: Relações de Gênero e Realidade Virtual. O que faz da nossa amizade um motivo a mais para me engrandecer como pessoa e como profissional.
Agradeço as dicas recebidas diariamente, agradeço os textos maravilhosos e agradeço demasiado, esta amizade que me proporciona olhares cada vez mais interessantes sobre a vida.
Não poderia terminar sem o indefectível xero. Então, um xero nordestino pra você. E que continuemos construindo nossa amizade tendo a palavra escrita, a qual eu dedico grande afeição, como plano de fundo.

Lola (09/07/11)

08/07/2011

MuraL de Lu





Este ano não tem sido nada fácil. Porém, entre tantos atropelos , algo me veio como presente e eu adorei. Estou falando sobre a iniciativa da minha amiga Luciana Celi, que me prestigiou ao publicar alguns dos meus escritos na escola onde trabalha, em Aracaju.



Luciana é professora de literatura e contadora de estórias, olha que coisa mais linda! E um de seus projetos é levrar às crianças um pouco de poesia e discutir com elas o conteúdo, a forma e a autoria.





Dentro deste contexto, fui agraciada com uma linda homenagem. Agradeço a Lu a consideração e enfatiso que professora como ela é luxo, quando deveria ser comum.



Parabéns, amiga, pelo trabalho lindo que você desempenha com tanto amor pela palavra escrita e pelo seu público alvo - as crianças do Colégio Master.



Sem Sentido

Já nem sinto mais
Porque tudo é sentimento
Não sou eu que sinto
E sim o meu lamento
Que de tanto sofrer para
Entorpece e mata a alma
Ela que sempre foi viva
Hoje é um pouco de nada
Chora a minha alegria
Ficou triste, embaçada
Tudo que eu mais queria
Motivos pra alegria
Me parece impossível
Pois nem mais viver consigo
Tenho um corpo, mas sem alma

Lola (06/07/11)

26/06/2011

Sem palavras

Tenho sentido raiva das palavras
Elas não têm dado conta dos meus sentimentos
Fogem de mim como a alegria
Deixam-me órfã e sem saída
Quero dormir e acordar noutro tempo
Num amanhã sem tristezas, sem lamentos
Onde a saudade não maltrate tanto
Seja lembrança amena ao meu âmago

Lola (25/06/11)

16/06/2011

A FAMÍLIA É TUDOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!

Sementes de Amor

O pé de castanhola se entristece
Ninguém há de cuidá-lo como tu
Tu destes água, energia e carinho
Companhia melhor que tu não existia
E a árvore virou rainha
Pra tentar te substituir
Mas que pena arvorezinha, que peninha
Ninguém jamais ocupará
O trono que é todo de Nicinha
Chora arbustinho, chora muito
Volta aos ramos fraquinhos, quebradinhos
Desce até a terra qual semente
Nela encontrarás o que procuras
Cheia de amor, ternura e viço
Mamãe esperando tua chegada
Pra que juntas reinventem a existência
Germinem, brotem, floresçam novamente
E embelezem nossa vida eternamente
E ternamente sejam nosso esteio

Lola (16/06/11)

15/06/2011

Paz do meu amor (Luiz Vieira)

Você é isso
Uma beleza imensa
Toda a recompensa
De um amor sem fim
Você é isso
Uma nuvem calma
No céu de minh'alma
É ternura em mim
Você é isso
Estrela matutina
Luz que descortina
Um mundo encantador
Você é isso
Um parto de ternura
Lágrima que é pura
Paz do meu amor

07/06/2011

Sobre a Atitude de Amar

Sentimentos nos chegam e os acolhemos
Cuidamos deles, os fazemos florescer
Vão crescendo, aumentando de tamanho
Logo, logo, não poderemos mais escolher
Se ficamos com ele para sempre
Ou se pra sempre haveremos de esquecer
Que um dia amamos com tanto gosto
Que o desgosto também veio nos ver
Não o queremos, desejamos sempre o bem
De nós e de quem passamos a amar
E alimentamos o sentimento com bondade
Pra nunca, nunca ele se transformar
Em coisas ruins, cruéis e desalmadas
Pois há alma no sentimento de amor
E seja onde for e em que tempo ele aconteça
Não esqueçamos que o bom mesmo é amar
Amar com todo empenho e desvelo
Amar com o desejo de cuidar
Quero cuidar de você com o sentimento
Que nutro no mais profundo do meu ser
Que só deseja o que há de bom nesta vida
E o que melhor há pra mim é ter você
Mesmo que seja só em pensamentos
Em sentimentos, digo, isto sim
E se for assim sentirei pra sempre
Para que nunca se afaste de mim

Lola (06/06/11)

Íris & Ísis (Acróstico)

I ndo da terra ao céu em um só instante
R indo e chorando, como boa mãe
I naugurando o colo com o primeiro afago
S olenemente lhes alimentando

E assim a recepção de Maíra se deu

I ris e Isis foram acolhidas
S ob os olhares meigos da família
I rão crescer e ser felizes, claro
S ó conhecendo a lágrima do sorriso

Lola (06/06/11)

06/06/2011

Amor em dose Tripla




Com o amor que eu sentia por Maíra
O que houve, que agora é diferente?

Algo acontece, algo agora é mais ardente
Bate três vezes o meu coração contente

Serei tia-avó em dose dupla
E o meu peito pulsa feliz em dose tripla

Isto porque já sou tia de Maíra

Lola (23/10/10)

29/05/2011

Menino Bonito (Rita Lee)

Lindo!
E eu me sinto enfeitiçada
Correndo perigo
Seu olhar
É simplesmente
Lindo!...

Mas também não diz mais nada
Menino bonito
E então quero olhar você
Depois ir embora
Ah! Ah!
Sem dizer o porquê
Eu sou cigana
Ah! Ah!
Basta olhar prá você...

E eu me sinto enfeitiçada
Correndo perigo
Seu olhar
É simplesmente
Lindo!...

Mas também não diz mais nada
Menino bonito
E então quero olhar você
Depois ir embora
Ah! Ah!
Sem dizer o porquê
Eu sou cigana
Ah! Ah!
Basta olhar prá você...

Depois ir embora
Ah! Ah!
Sem dizer o porquê
Eu sou cigana
Ah! Ah!
Basta olhar prá você...

Sobre a Solidão

A solidão só acontece quando nos abandonamos em função de superestimar outrem
A auto estima evita que cheguemos a esse ponto e ela é imprescindível
Temos que nos amar primeiramente, para podermos amar outras pessoas
Olhe pra dentro de si e veja que merece ser amada e ame-se
Daí pra frente, estar sem alguém à volta é contingência, não mais solidão

Lola (fevereiro/2011)

Juras de Amor

Tuas juras de amor são como preces
E enquanto oras muitas vezes me esqueces
E com a oração vai-se perdendo o entusiasmo
E eu fico aqui, aflita se não te acho

Posto que amar é dar-se e comprometer-se
Assim se vive mais intensamente
Já que estamos nesse barco que é a vida
Que remamos e aprendamos com as ondas

Lola (2011)

De Acreditar

Vou vivendo esse momento tão bonito
E agradecendo a Deus por tudo isso
O mundo em minha volta é todo lindo
Desde que eu acredite, e acredito

Lola (2011)

Pluma

Pousando tua leveza em mim
Sinto-te pluma, no meu corpo encostada
Abraço a vida e me sinto abraçada
E novamente a pluma me afaga


Lola (2011)

Rendas e Rimas

Queria eu ser mulher rendeira e tecer rendas pra ti
Em troca me ensinarias o que ainda não aprendi
Como viver sem te ter se estás dentro de mim

E dormir tranquilamente depois de uma oração
Em que pediria a Deus que tu viesses aqui
Nem que fosse um minutinho me cantar uma canção

Se eu te ensino a fazer renda, tu me ensina a namorar?
Mas tem de ser do meu jeito, pois o teu não gosto não
Já que num segundo queres noutro me mandas embora

Lola (28/05/11)

Você (2)

Não sei por que inventei amar você
Que nem combina com o meu jeito de ser

Vai e volta como quem não se incomoda
Ou se incomoda de estar sempre comigo

Enjoa fácil e nada fácil é seu estilo
E fico sempre sem saber sobre o que quer

Que me incomoda quando ausente
Mas presente me incomoda muito até

Porque não sinto firmeza em nada mesmo
E muitas vezes até percebo um desdém

Por tudo isso que nós somos ou nem fomos
Se põe alheio e é alheio ao que eu desejo

Não entendo mesmo porque eu insisti tanto
Em desejar e bem querer assim você

Mas agora decidi "desinventar"
E não mais querer você ou lhe amar

Lola (28/05/11)

28/05/2011

Das Ilusões

Ilusão foi-se embora
E nem perguntei pra onde
Dela não quero notícia
Melhor que esteja bem longe

Vai ilusão e se demora
Não que não queira mais vê-la
Mas prefiro a minha vida por pior que ela seja
A me entregar aos teus encantos

E depois num triste canto
Chorar sozinha meu pranto

Lola (28/05/11)

27/05/2011

Rede na Varanda

Numa rede na varanda
Abraçadinha ao bem querer
Passaria a vida toda
Sempre querendo mais ter


Todo esse seu carinho
Pra nunca mais esquecer
O quanto é bom ser amada
E melhor se for por você

Lola (20/05/11)

Sarau 2

S obre a vida e seus encantos
A mores e desencantos
R ecitaremos aqui
A legria para mim, bem como para você
U m momento de prazer

Lola (26/05/11)

Festas Juninas

Daqui a um mês estarei empolgada
Com os preparos das festas juninas
Arrumando as bandeirolas, os foguinhos
As comidas típicas e o quentão

A fogueira, a chita da toalha
O forró e principalmente a gurizada
Farão a animação do meu São João
Que vai ver a noite virar criança

Enquanto a cinza não tocar o chão

Lola (24/05/11)

Sarau

S ejamos felizes o tempo todo
A inda que haja motivos pra chorar
R ir é bem melhor tenho certeza
A poesia nos ajuda a animar
U m poema sempre é bem melhor que o choro

Lola (24/05/11)

Ausência

Por te querer vivo assim, sem ter sossego
Só de desejo pulsa o meu coração
Que se entristece na ausência dos meus dias
E se alivia ao pensar que um dia vens

Lola (maio 2011)

25/05/2011

Alice

A lice, o nosso mundo
L indo cada vez mais será
I sto porque estás por vir
C á estamos a esperar
E que venhas com saúde, alegria e a cantar

Lola (20/05/11)

12/05/2011

Sobre a Luz Vermelha

A luz vermelha não te interdita
Ao contrário, te aproxima
Ao vê-la como uma vela acesa
Que na sacristia anuncia a presença do Cristo
Que sinto, embora não veja, não toque (mas sei que é lindo)
Mas assim me tocas, vermelhinho
E é com carinho que te sinto aqui
Acompanhando-me, manhãs e tardes
E tantas noites varo por ti
Em claro, claro - e a luz ali
A luz aqui
Há luz em ti
Há luz em mim que te quero assim
Aceso, sempre, dentro de mim

Lola (12/05/11)

“Mora na filosofia”

Aprendi sobre o amor do tipo PHILOS que este não necessariamente trata-se apenas de amor fraterno. Aprendi algo sobre ele que me fez acreditar ainda mais em possibilidades infinitas de conjugar o verbo amar.

Sobre o PHILOS, certamente recai um bem querer meio que idealizado, o que, a meu ver, assim como a virtualidade, não se configura em mentira.
Folguei em saber sobre este amor, pois percebi o quanto amo verdadeiramente, bem como consigo alcançar reciprocidade, fazendo deste sentimento, algo mais palpável e mais envolvido com a beleza que todo amor deve ensejar.

O que me chama atenção nisso tudo é que sempre ao pensar sobre o amor PHILOS, me vinha à mente o amor entre amigos e irmãos. O que me fazia deixá-lo de lado ao pensar no objeto do desejo, aquele a quem lanço meus sentimentos mais profundos, que eu julgava ser mais EROS do que qualquer outro tipo. “Vivendo e aprendendo”, é assim que reflito neste momento. E assim o fazendo me sinto meio aliviada. Consigo enxergar que mais que fantasia, o que me mais define esta situação é a imaginação criativa.

Foi dito alhures que “a imaginação criativa liberta, mas as fantasias escravizam”, e em sendo assim, me vejo livre pra sentir tudo o que sinto, incluindo aí os meus desejos, que podem até transitar entre EROS e PHILOS, tão repletos de amor que são. E pensando assim, incluo o seu sentimento também e o alívio supera toda a ansiedade, pois o medo não encontra mais razão de ser.

Ao enxergar o meu e o seu amor como PHILOS, não mais o vejo desmerecedor de tudo o que pulsa aqui dentro do meu peito; ao contrário, a minha imaginação criativa o leva até o fim da minha existência, perenizando-o de uma maneira tão sublime ao ponto de chegar à sensação de que o engoli e que ele passou a compor minha corrente sanguínea, não conseguindo eu jamais existir sem ser assim: com você pulsando em minhas veias e quando em vez, ou “quando em sempre”, fazendo meu coração acelerar extravagantemente.

Consigo até enxergar uma ponte entre ele, este amor, e o amor que sinto pelo saber, pelas letras, pelo conhecimento. Não é à toa que aprecio tanto o nome Sofhia. PHILOS + SOFHIA = FILOSOFIA – o amor às palavras foi a ponte onde se encontrou o nosso amor.

E assim encerro esta crônica como a iniciei - “caetaneando” : “Mora na filosofia, pra que rimar amor e dor?”

Lola (12/05/11)

10/05/2011

Sobre as crônicas de Miguel




Estive sem ler a ISTO É no período em que Falabella se despediu e confesso ter me entristecido não o encontrar mais entre os cronistas.

Confesso também que ficava ansiosa para que chegasse o dia dele, no reve3samento que a revista faz.

Já disse aqui alguma vez que me identifico muito com Miguel e que suas crônicas me tocam sempre muito fundo, visto que retratam sua história de vida repleta de reminiscências, principalmente relacionas à família.

Fazia algum tempo que não acessava esta comunidade e que ainda não tinha lido sua crônica de despedida. E que ao fazer isto, agora a pouco, me senti meio aliviada, acreditando que qualquer dia desses ele pinta de novo na minha página preferida da revista.

Costumo dizer que tenho uma vontade imensa de ser próxima de Gilberto Gil, que desejaria ser amiga de infância dele; dessas que nunca se separam e que constroem uma relação muito íntima. Eu diria sobre Miguel Falabella que nem precisaria isso tudo, mas que um bom papo com ele já me deixaria muito satisfeita. Gostaria de ratificar que esta identificação que percebo entre mim e ele tem realmente sentido.

Já cheguei a falar sobre ser libriana de 14 de outubro e de ser, na adolescência, chamada de Floquinho. Mas assevero que o que vejo de mim nele não fica por aí. Seu jeito de escrever de dentro pra fora e de fora pra dentro, numa dialética que humaniza os seus textos e faz o leitor se emocionar com ele, tem muito do meu estilo. E quando falo isto não o digo pensando em me enaltecer – Não. Simplesmente demonstrar o quanto nos parecemos na maneira de ver a vida e as pessoas e fazer de cada um dos personagens de nossa história, peça fundamental para que ela seja exatamente como é: recheada de luzes e cores e que recebe o P& B de maneira tranqüila, sabendo que estas cores também encerram beleza e que não podem deixar de compor o nosso enredo. Chego a imaginar Falabella no seu momento de criação, enlevado pelo instante entre lágrimas e sorrisos.

Que a fase de dedicação à escrita de novela passe rápido e que ele volte a ocupar seu posto na revista, pois sou do tempo em que saudade dói de fato. Ficarei aguardando ansiosamente, enquanto torço por seu sucesso em todas as áreas que compõem seu vasto leque de possibilidades.

Até breve, Miguellito.

Lola (09/05/11)

Rabiscos

Num cantinho da mesa da escola
Rabisquei o teu nome e o meu
Deles brotaram mil flores
Corações também apareceram
Foi tanta luz, tanto sol
Que até a lua chegou
Bem perto dos nossos nomes
E tudo encanto virou
Estrelas brilhavam pra nós
Peixinhos vindos do mar
Também lá apareceram
E nem precisaram nadar
Tudo era lindo, confesso
Que até hoje eu espero
Um momento como aquele
E todas as vezes que sopro
As velas de aniversário
O desejo primeiro é este
Ter nosso momento de volta
Para além da mesa da escola

Lola (10/05/11)

06/05/2011

VIVA A DIVERSIDADE!

Foi com alegria que hoje ao conectar, às 7:00hs me deparei com a manchete: STF reconhece união homossexual.
Faço parte de uma corrente teórica que acredita na desnaturalização dos sexos, vendo-os como construção cultural e social. percebendo que não se deve hierarquizar a partir das orientações sexuais. Portanto, contra todo e qualquer tipo de descriminação sexista.
Vejo o posicionamento do TSF com alegria por entender que é um passo importante no processo de desmistificação da idéia que a orientação sexual interfere na conduta e no caráter das pessoas, que acredito, não devem ser avaliadas por esse critério.
Reconhecer a união homo afetiva é entender que a família, em sendo também construção cultural e social, é mutável e que nem toda mudança, por pior que aparente, deve ser vista como nefasta.
VIVA A DIVERSIDADE! A ÚNICA COISA QUE TEMOS EM COMUM É A CAPACIDADE DE SERMOS DIFERENTES, como atesta o antropólogo francês, La Plantine.

05/05/2011

Você (Ou: Como o Amor me Deixa Boba)




Um encontro
Um encanto
E pronto
Tudo passou a ser diferente
Não sei o que acontece com a vida da gente
Que a partir de certos encontros tudo muda de repente
Se é certo ou errado, nem se sabe
O que é sabido e acredito é que foi permitido
Senão não seria o que é, senão não faria sentido
Sentido é – sinto tanto!
E cada vez mais, esse encanto
Encanto que vem desse encontro
Quando entre tantas pessoas, meus olhos viram você
Meu coração lhe acomodou
E aqui, boba eu estou
Feliz por ter encontrado você
Desejando encantar você
E sempre querendo dizer
Que amo - amo mesmo você

Lola (05/05/11)

04/05/2011

Dia Das Mães



Aproxima-se o dia da s mães e eu sinto saudades de um tempo em que a minha mãe era lúcida.Tempo em que eu escolhia o presente a lhe dar no 2º domingo de maio.
Este ano darei um presentinho a ela, claro, mas não é fácil escolher o que dar, visto que ela certamente não entenderá do que se trata.
Este tipo de coisa às vezes me deixa meio triste, assumo. Mas na verdade, normalmente sou muito agradecida a Deus por tê-la ainda conosco, mesmo que esquecidinha. Ela é linda e mais linda ainda a luz que ela irradia, de forma que estar pertinho dela me faz muito feliz.
Todas as tardes de sexta feira dedico ao seu cuidado, pois fizemos revezamento, eu e minhas irmãs, já que ela se tornou completamente dependente dos nossos cuidados. A não ser quando não me encontro na cidade, nada me impede de ser e ter sua companhia nas tardes de sexta feira. Além disso, o final de tarde de domingo e praticamente a noite toda, estou lá em sua casa, dividindo com meus irmãos a companhia dela. É assim que me refaço que absorvo a energia necessária para uma semana de suor e sorrisos.
Nesta semana dedicada às mães, peço de maneira especial por sua saúde, por sua paz de espírito e por seu conforto. Peço também a Deus que nos permita estar com ela por um bom tempo.
Minha mãe é exemplo de dedicação, amor e suavidade. De sorriso fácil e docilidade. Um exemplar perfeito da condição materna.

Uma viva a minha mãe e um viva a todas as mães do mundo!

FELIZ DIA DAS MÃES!

Lola (04/05/11)

01/05/2011

Feliz Aniversário!

Hoje se estivesse vivo meu pai faria 97 anos. Sinto falta dele e de tudo o que tem a ver com ele. Dos 1º de maio festivos do amanhecer ao final do dia. Ao mesmo tempo, o tenho tão presente em minha vida que muitas vezes penso que vou chegar lá em casa e encontrá-lo. E que ele me receberá como sempre o fez: - Olá, filhinha. Era assim que papai se dirigia a mim.
Essa suavidade, esse jeito de ser, me acompanharão pra todo o sempre. Assim como sua luz inigualável. É ela que clareia os meus dias, que me faz sorrir e acreditar que tudo vale à pena.
Saudade acompanhada é o que sinto. E agradeço muito a Deus uma bênção como esta. Porque só quem realmente ama e é amada pode se sentir assim. E o nosso amor é infinito, perpassará anos, vidas e situações. E não direi que é inabalável, posto que o percebo crescer a cada vez que o penso.
E é com este sentimento que hoje consigo dizer: Parabéns papai! Feliz aniversário! Viva você! Eternamente...

Lola (1º de maio de 2011)

25/04/2011

Exageros meus

Se sempre gostei de poesia
Imagina depois de lhe conhecer
Se pra mim a vida soa como música e aos meus ouvidos encanta
Imagina agora em sua companhia
Não importa se tem lua e é dia
Se o sol invade a noite e tudo é claro
É claro que sempre fui e serei feliz com ou sem você (será?)
Mas agora tudo está otimizado
Tudo é agrado ao meu sentir exagerado
Nem tudo falo por cautela em lhe dizer
Tenho medo do exagero lhe afastar
Sou intensa, quero muito, sou gulosa
E às vezes penso que é melhor me acalmar
Mas minha calma me leva a sonhos lindos
E neles sua presença se declara
Volto aos exageros, sinto medo de perder
E quero mais, sempre mais quero ter você

Lola (25/04/11)

21/04/2011

Dos Prazeres da Escrita

Adoro a palavra escrita. Ela combina comigo de tal maneira que muitas vezes sinto vontade de escrever ao pé do ouvido... De sussurrar um texto escrito na hora, no calor da emoção.
Me apraz muito mais a caneta ou os teclados do que um microfone. Nada contra o microfone, as platéias, até porque sinto muito prazer em sala de aula e me faço compreender muito bem.
Mas a escrita me fascina de um jeito que não tem jeito.Tenho que partir para o papel, para o monitor de um computador.
Chego a escrever em guardanapos, em papel higiênico ou de embrulho, para não perder o clima do momento da inspiração. E quando falo em inspiração não estou querendo dizer que sou muito inspirada, que tenho idéias fantásticas, não. Mas as que tenho são minhas, fazem parte de mim, de minha identidade, que venho construindo nestes meus 46 anos.
Gosto tanto de escrever, que já falei tudo isto que escrevo agora muitas vezes, e nem por isso deixei de desejar um momento em que aflorasse, saltando à boca, ou melhor, às teclas, umas palavrinhas, pra que eu me deliciasse com elas a cada dígito e depois a cada releitura.
Quero escrever o mais que puder e quero isso agora. Quero dizer o que eu sinto o que desejo e o que me dá medo. Quero ser feliz ou triste o que é comum acontecer, mas quero sentir tudo isso em minhas mãos, nas pontas dos dedos.
E o bom da escrita é que o interlocutor pode estar à distância e pode nem ler hoje o que digo. Mas se um dia ele, o interlocutor que desejo acessar meus escritos, ah, isso me trás uma felicidade ímpar e sem preço. A alegria que eu quero e que eu mereço. Por isso mesmo continuarei a escrever.
Escreverei palavras amenas. Escreverei palavras pequenas. Escreverei meus sentimentos e até o meu lamento. Mas jamais deixarei de escrever.

Lola (20/04/11)

FELIZ PÁSCOA!

F esta dos cristãos, tão importante
E sta que ora comemoramos
L uz, paz de espírito nos trás
I sto que quero demonstrar
Z ela por nós o nosso pai

P ai que também é nosso irmão
A trindade santíssima nos conforta
S e nela cremos não há nenhum temor
C uida de nós os pecadores
O lha por cada um e afirma
A vida só vale a pena ser vivida se a sua palavra for cumprida

Que o espírito do Deus que se fez homem e que sofreu por nós nos encha de esperança de uma vida plena de amor e fraternidade.
Lola (20/04/11)

18/04/2011

Sem Querer Ser Piegas (e já sendo)

Hoje estou com os pés descalços
Lavo a louça, limpo a casa
Preparando-a pra semana
Que se inicia amanhã

Hoje é final de semana
Limpo tudo e deixo pronto
Pra que este fim seja agradável (há fins que não são)
Sábado à noite é momento de curtir tudo o que fiz

Como pasteis, devoro a pizza
A minha gula se multiplica
Desejo tudo, devoro tudo
Embora nem tudo a mim se oferte

Fim de semana, início de outra
Sábado e domingo, tão diferentes
Prefiro a sexta, dia da cerveja (embora escolha sempreo whisky)
E em cada trago, uma música ouvida

Em cada letra, uma conexão
Em cada sentido a falta de
A ausência de sentido me põe alerta
Sinto-me segura (me segura)

“Hoje é sábado, amanhã é domingo...”
A vida segue (e é tão breve!)
Desejo a semana que vem com alegria
Alegria que se irradia a partir do sorriso e do suor que invisto

Lola (16/04/11)

14/04/2011

Meu Bem Meu Bem

Não quero um amor que me divida
Amor é chegada, nunca partida
Amor é encontro e não despedida
Amar é declarar-se e não subterfúgios

Se me ama, preencha as entrelinhas
Pois ando meio arredia, sem disposição
Pra interpretação duvidosa - que droga!
Amar é gostar de sentir-se assim

Tão frágil e tão forte que nada é capaz
De fazer desistir e é sempre querer mais
Mesmo sendo capaz de entender que nem sempre
O amor acontece de maneira tranquila

E mesmo assim sentir-se contemplado
Com a melhor sensação que se pode sentir
Amar é gostar de cantar assim
“Meu bem, meu bem, meu bem (que outros cantores chamam baby)”

Lola (14/04/11)

Se

Se estou interditada e em mim não transitas
Que pelo menos haja reciprocidade
Que não distribuas palavras ao vento
Que eu possa catar e pensar que são minhas

Se elas se dispersam no ar e eu não mais consigo
Uma leitura fiel ao que querem dizer
Ficarei sempre mais distante de você
E o que fazer com tanto sentimento

Vai virar lamento até o esquecimento
Triste sina teria um amor assim
Passaria a ser coisa ruim
E é sua natureza beleza sem fim

Lola (14/04/11)

13/04/2011

Feito Fênix



Sou capaz de ressurgir das cinzas feito fênix
Também sei cantar, bem alto o meu canto
Até que encontre um canto aonde possa
Aninhar-me e me desfazer do pranto

Então me acalmo e me encanto novamente
E de repente cá estou eu, a desejar
Alçar novos vôos, ter novas perspectivas
E assim a vida continuar

Longe de tudo o que me for nefasto
De tudo o mais, quanto não me servir
Posso até nadar em lágrimas nesse instante
Mas sei que tudo sempre há de ter um fim

E que este fim seja apenas do meu pranto
Jamais seja relacionado a mim
E vou voando, sou uma fênix, acredite
E nada me impede de voltar a sorrir

Lola(06 – 13/04/11)

11/04/2011

Das incertezas

Desejar-te é bom, mas me dá medo
Sinto o peso de querer tanto assim
Me incomoda a distância, o (des)compromisso
Me incomoda te querer só para mim

O que faço se o teu olhar me persegue
Mesmo que esconda muitas vezes, se impõe
Como tu mesmo, aqui cá dentro do meu peito
E eu me perco pensando me preservar

Que ilusão vivo agora – e agora?
Tu vais embora sem nem mesmo eu ver chegar
Mas continuas insistente no meu leito
Quando me deito tentando descansar

Lá vem o olhar, que me inquieta e me apavora
Lá está o sorriso carinhoso que já vi
E continua se impondo a tua presença
Junto à ausência que eu sinto sempre aqui

E haja incertezas brincando com meu sentir
Mas uma certeza me acompanha sempre sim
Esta certeza é o que me faz buscar a ti
Mesmo sabendo que é perigoso o teu olhar

É perigoso e inevitável eu bem sei
Tão magnético, atraente e verdadeiro
Que a única coisa que eu sinto quando o vejo
É essa vontade de te dar um milhão de” xeros”

Lola (11/04/11)

09/04/2011

Apaixonada

A pavoradamente pensativa
P enso em você todos os dias, toda hora
A í me pergunto porque isso, ora bolas
I gnorando o coração tento esquecer
X ô pensamento, xô solidão, xô bem querer
O u tenho tudo, ou nada tenho
N ada é duro de suportar
A paixonada peço clemência
D eus haverá de me escutar
A h, só Deus mesmo, pra a mim lhe dar

Lola (07/04/11)

06/04/2011

Leite Derramado

Não sou de chorar o leite derramado
Nem de me indispor se não agrado
Penso que tudo na vida é exatamente
Como tem de ser e é assim que é

Faço minha parte, até dou conta
Mas jamais farei de conta que agrado
E se isso tem de ser o meu fardo
Que eu o suporte e não reclame, até por que

Fui eu quem se aproximou de você
E que compreendi tudo errado
Devo até me desculpar, isso eu acho
Mas nunca, nunca, mau vou lhe querer

Fiquemos assim, então, é o que espero
Você aí e eu aqui quietinha
Amiga, posso e quero ser, é claro
Mas xeros nunca mais, meu bem querer

31/03/2011

Ele

Ele que invento enquanto adormeço
Que no sonho me visita e me ama
Tem cheiro bom de orvalho em flor
E tem cor alegre que me acalma
Ao mesmo tempo em que provoca
Sensações acaloradas
Dessas que, enquanto dorme, a gente baba

Lola (30/03/11)

TEQUILA VERMELHA

É sabido que gosto de bebidas
Das que ardem a boca e suavizam a alma
Espero por merecer uma dose de TEQUILA
VERMELHA , da cor do sangue que transborda
Em mim, onde há vida latejante
Se a Editora Record achar que deve
Estarei tranqüila e aguardarei o presente
E num futuro próximo contarei a todos
Da MQ, a experiência lida
Nas páginas do livro almejado por todos
Mas que só a mim e a outro foi doado
E agradecerei com um poema embriagado.

Lola (30/03/11)

Poemeto Teu

De todos os poemas que já fiz
Nenhum veio do pensamento em ti
Talvez por isso mesmo nenhum valha
Enquanto sentimento da minh’alma
Quanto esse que acaba de sair
Do coração pra te fazer sorrir
E eu me sentir assim, apaixonada.

Lola (09/03/11)

26/03/2011

Vou ser vovó

Vou ser vovó - e agora?
Eu não sei nem tricotar
Mas será mesmo preciso
Fazer tricô e bordar?

Ou já basta todo o amor
Que eu tiver no coração
Pra que esteja preparada
Pra cantar uma canção

Pra ninar e cuidar bem
Embalar com meu carinho
Meu querido, meu netinho
Que a tempo espero e desejo

E Deus num sopro “maneiro”
Escolheu e enviou
Presente do Nosso Senhor
Deve ser tudo de bom

E já é muito amado
Aguardado com carinho
Como se um pequeno anjinho
Fosse descer lá do céu

Pra ficar aqui conosco
Por um tempo prazeroso
Cheio de conhecimentos
Coisas boas, sem lamento

Seja Marcelo ou Alice
O importante é que chegue
Com saúde e alegria
Será o xodó da tia

Da vovó e do vovozinho
Que ansiosos esperam
Pra conhecer seu rostinho
Anjo em forma de netinho

Lola (26/03/11)

21/03/2011

Sobre Mulher e Vinho – Mistura Quente

A mulher pega o vinho e enche a taça
Sente o cheiro do tinto muito fresco
Degusta como quem se delicia
Com a vida em forma de poesia

Enche a taça novamente e bebe tudo
O conteúdo da garrafa vai-se indo
E a mulher sente-se suave, quase dormindo
E deita o corpo a procura de abrigo

Em outro corpo que só ela sente e gosta
Que só ela se apodera e se deleita
Depois adormece satisfeita e refeita
E noutras noites abrirá outras garrafas

Do puro vinho que é da cor de sangue puro
Do que ela dá todos os dias, dando duro
Cujo cansaço elimina com uns goles
Do vinho tinto guardado em sua adega

Com ele a vida segue em frente, sempre em festa
E desce suave, prazerosa e degustada
Quase como uma dose de vinho em fina taça
Que a mulher ousa repetir em prol da causa

Lola (20 e 21/03/11)

17/03/2011

De Gole em Gole

Bebo a vida contida no copo de whisky
Sinto seu gosto forte que me atiça
Largo o mau humor e a preguiça
E mexo o gelo com os dedos
Nada há mais, não há segredos

Sorvo com gosto tudo isso
Tirando o gosto com as mãos
Sempre estendidas em acolhida
Em afazeres e em afagos
Mal sinto o dia chegar a cabo

E me recolho ao perceber
E o amanhã virá para eu viver
Tudo de novo do meu jeito
E quem não achar que é direito
Que escolha, exerça o livre arbítrio

Fazendo seus dias mais bonitos
E vivendo sempre ao seu gosto
Isto não me trás nenhum desgosto
Pelo contrário, me interesso
Por tudo o quanto for diverso


Vida vivida, absorvida
Como um gole de bebida
Whisky, a minha preferida
Metáfora do líquido que vivifica
Toda nuance nela contida


Lola (17/03/11)

16/03/2011

Sobre o Japão e outras catástrofes





Quanto mais vivemos calamidades, mais percebemos que Deus, em forma de natureza, é maior que tudo. Nós, humanos, muitas vezes pensamos que estamos no controle; ledo engano, apenas “brincamos de casinha”, enquanto Deus nos olha e nos sonda.
O que temos visto no Japão nos tem dado uma amostra de como ser potência mundial não conta, quando a natureza quer seguir seu curso.
Os espiritualistas acreditam que quando há catástrofes e muitas pessoas morrem, o que eles chamam desencarne em massa, há explicações para o fato e elas passam pela lei do karma – karma coletivo ,no caso.
E nós, leigos, homens ordinários, que haveremos de pensar sobre isto tudo? Tenho me perguntado: o que será que Deus está intencionando com esses acontecimentos? Sim, porque há de haver um motivo, já que nada na vida acontece por acaso.
Meu Deus, do céu...te peço por todos que sofrem com as calamidades...por todos que pranteiam coletivamente...te peço esperança para o coração dos que sofrem...te peço pra não perder a fé que tenho que tudo tem um sentido maior. E assim sendo, acreditar que dias melhores estão por vir, que a humanidade está passando por momento de transição para um mundo melhor. Assim espero.

Lola (16/03/11)

15/03/2011

Mãos Limpas

Mãos que foram feitas pra curar
Nunca deveriam errar
O erro compromete a fé
Na saúde, no dom da cura
“Deus proveu, Deus proverá
Sua misericórdia não faltará”
Quando tudo virar passado
As mãos limpas hão de voltar
Voltar a curar, que é a sua natureza
E Deus estará junto, sempre, com certeza!

Lola (15/03/11)

Sobre o Abraço





A sensação do abraço não se finda
Quando termina o abraço que nós damos
Ela fica impregnada de um jeito
Que não há como se desfazer da sensação

No coração o sentimento nos avisa
Que há verdade no abraço recebido
E dessa forma passamos a perceber
O outro como parte de nós mesmos

E é tão gostoso sentir dentro do peito
O que emana de um abraço carinhoso
Que tem o dom de nos dar prazer de novo
Ao relembrarmos que trocamos um abraço

Lola (15/03/11)

14/03/2011

POESIA (2)

P raticar a metáfora
O lhar tudo e ver poesia
E a vida que permite
S em ela seria vazia
I ato, lugar a ermo
A h, como nos traz alegria!

Tudo é poesia e se escrevo é poema [;)]

14 de Março

Dia da poesia
De receber poesia em forma de presente
De se fazer presente por meio da poesia
De fazer poesia e de parabenizar o poeta
De parabenizar a poesia e se fazer poeta

Lola (14/03/11)

08/03/2011

08 DE MARÇO DE 2011

Você é uma das mulheres da minha vida
Rosa do meu roseiral
Motivo da minha alegria
Poema do meu sarau
Felicidade a você
Um lindo 08 de março
Que Deus lhe proteja sempre
Aceite o meu abraço

Lola (08 demarço de 2011)

Mulheres

Não precisamos de resgate, não estamos à deriva
Somos completas, acredite, embora bem repartidas
Divididas com os amigos, o trabalho a família
Tudo isso nos compõe e nos identifica
Mesmo em tempos de tormenta estamos aí, na luta

E se houver calmaria, bem alegrares estaremos
E faremos companhia a todos sem distinção
É nosso maior legado, acalentar coração
Que não estiver contente em alguma situação
Somos mulheres, meninas, mães, irmãs, grandes amigas

Mas como qualquer ser humano podemos ser bem malignas
Pois nosso jeito de ser, embora a cultura dite
Não é algo imutável, sempre encontrado n’agente
Sabemos reelaborar o que ela nos dá de presente
E fazemos do nosso jeito, imprimimos nossa marca

Seja ela boa ou uma farsa, humanas, somos assim
E quem não estiver satisfeito, procure um outro jeito
Que seja mais que completo
Duvido muito que ache, pois a fórmula da mulher
Deus decorou e não passou como receita a ninguém

Pois é o melhor que Ele tem
E só homem muito esperto é feminino também
Como o Super Homem de Gil, cuja “porção mulher”, é o que há de melhor
Fazendo-lhe tanto bem
Não precisamos ser super, pois somos gente também

Lola (05/03/11)

07/03/2011

Sobre o Carnaval

O antropólogo brasileiro, Roberto DaMatta escreveu vários artigos sobre o carnaval, num deles, fala sobre “Carnaval, Malandros e Heróis”, mostrando como esta festa se popularizou no Brasil e passou a ser um item de destaque da identidade brasileira.

Há pessoas que dizem da artificial alegria que contagia a todos os foliões, tornando-os meio bobos ou com ar de falsidade. Eu diria que, como qualquer outra faceta da vida social, o carnaval é sim artifício, mas jamais poderá ser confundido com falseamento, posto que reflete no povo brasileiro todo um jeito de ser que ele constrói ao longo de sua existência e que extravasai no período momesco.

O carnaval é alegria brasileira em overdose. É bônus de sorriso e de fantasia.

Eu, particularmente não irei brincar este carnaval, mas, sinceramente, desejo a todos que se ocuparão dos festejos de Momo, um tempo de alegria e paz, na esperança que sirvam de mola propulsora para o desenrolar das atividades deste ano de 2011, que está apenas começando.

FELIZ CARNAVAL A TODOS!

02/03/2011

Fala Zelito...

Comentário
Joselito Lucena
15 de Julho de 2010


Nada acontece por acaso. Não procure decifrar enigmas; você pode encontrar algumas soluções, mas elas estão bem longe de uma amostragem como de como foi, onde foi, porque foi. As verdades estão bem ocultas e longe de serem reveladas.


Por que essa ânsia de descobrir o que causou a mudança, quando ela mostra que houve uma melhoria acentuada com pequeníssimas exceções. Interessante! Depois desse meu acidente, cuja duração já atinge sete meses, nada a lamentar. È tocar o barco pra frente. È dar a volta por cima e gozar a vida, hoje mais alegre do que antes, mais gostosa de ser vivida.

Finalmente, não sei por que estou escrevendo isso se sou um homem feliz, de uma família espetacular, de companheira compreensiva, de filhos que sabem como dar afeto, carinho, assistência sem pensar em retribuição. Dentro de um conceito bíblico “crescei e multiplicai”, o prazer dos filhos, filhas, netos, que nas contas somam sete, bisnetos cinco – 3 mulheres e dois homens – noras, cunhadas, enfim, tudo que um homem feliz deseja ter.

Nada acontece por acaso. Vem uma mudança às vezes repentina ou silenciosamente com mais tempero para os pensamentos e análises. Falta mais alguma coisa? Falta sim! O reconhecimento aos que gostam e amam embora distantes, mas que têm o calor e o sentimento de um coração que não é ingrato e que por isso mesmo tem a coragem de dizer: “nada acontece por acaso”.

Esse desabafo repentino é para agradecer a sua admiração, o seu carinho... O seu afeto... o amor...o respeito de um escriba que através da voz... Um simples locutor granjeou a simpatia e admiração de uma cidade.


*Comentário escrito por Joselito Lucena em 15 de julho de 2010, não levado ao ar, localizado pela família entre seus escritos em 01 de março de 2011.

27/02/2011

Encontro ou Como Mário Quintana entrou em minha vida

















Como tudo que é bom e que vem e fica
Como uma mistura de palavras bem bonitas
Como a simbiose entre poesia e poeta
Como aquilo que só Deus nos empresta
Como uma luz que pela fresta invade o quarto
Como o escuro que acontece quando apago
Como parte indefinível do meu ser
Como eu, quando encontrei você

Lola (15/02/11)

Resposta a Silvania

Sou tão sem mistérios que até sou “sem graça”
Sorriso bem largo de mim extravasa
Então fico explícita e uma porta aberta
Pra novas conquistas, novas descobertas

Pra mim tudo soa sempre muito bem
Até que me provem o contrário ser
Às vezes por isso eu fico “deprê”
Mas logo isso passa e volto ao normal

Normal, vírgula, ao jeito que sou
E continuo vivendo, sorrindo, pensando
Quem me gosta que goste desse meu jeitinho
E quem não desejar, tudo bem, eu aceito

Mas é melhor se afastar do que ser grosseiro
Jamais aceitarei “inimigos pra sempre”
Melhor esquecer que nos encontramos
Virarmos a página e seguirmos cantando

Lola (26/02/11)

Arquivo do blog