"Ando devagar porque já tive pressa..."

"Ando devagar porque já tive pressa..."
"Ando devagar porque já tive pressa..."

22/03/2017

O amor do poema



Aquele que desperta as palavras
e que só o poder delas nos acalma,
O que dorme com a gente pra acordar juntinho.
O que nos aborrece e a gente logo esquece.
O que nos aparece como um presente
e nos entristece quando está ausente.
O amor do poema
é frio, é quente,
é o amor da gente.
E é complicado quando ele não sabe o que a gente sente.
Se é indiferente faz sofrer,
embora continui a ser.
Mesmo que não como se sonhou,
como um dia em nosso coração aflorou.
Mas claro, a gente sabe que é amor.
Lola

Nenhum comentário: